o estado inspirativo

Muitos me perguntam, o que vem primeiro a letra ou a música? Sim, eu sou compositor, sou também engenheiro eletricista, gestor de inovação, engenheiro de áudio, sou pai com amor de sobra, marido apaixonado, também adoro o lado artesanal das coisas como arrumar a casa e tudo que estraga, gosto de andar de moto, toco guitarra, bateria e piano, carrego comigo mil dúvidas, mas sou forte e frágil, sou otimista com muitos medos. Normalmente eu não colocaria tudo isso se eu fosse atualizar meu currículo profissional, mas é ai que está minha grande mudança, hoje eu coloco, talvez pelo meu amadurecimento ou simplesmente pela minha mudança de rumo, não sei ao certo.

A questão é, você conseguiria se definir como pessoa em uma única palavra? Mas….por que deveria? Em uma única palavra? O que nos faz únicos é o poder da nossa consciência, são as nossas múltiplas habilidades, é a nossa energia e ela só existe pois somos uma caixa de velhas e novas coisas guardadas. “Somos o presente do passado, o presente do presente e o presente do futuro.”  Como diz Belchior, o poeta cearense, “o passado é uma roupa que não nos serve mais, no presente a mente, o corpo é diferente, precisamos todos rejuvenescer”.

Tentando exemplificar meu processo e diante das nossas capacidades, entendo que nosso poder criativo é infinito, mas pra isso precisamos nos condicionar para o “estado inspirativo”.

Se predispor para a criação, é buscar as idéias em lugares que você nunca foi, é conversar com quem você nunca conversou, é diminuir as camadas hierárquicas, como buscar o frio pra sentir falta e procurar a coberta.

A inspiração não é um raio divino e sim uma condição que nos colocamos.

Me lembro quando escrevi INVISIVELMENTE em 2008. A música não se fez num momento específico, mas sim em vários momentos vividos naquela época, inclusive onde meu estado de espírito estava intimamente ligado a tudo que participava. Tudo que eu lia, ouvia, conversava, era em prol dela, tudo levava às formas de me entender como pessoa, para mim mesmo, “como se eu fosse o único, correndo mais que o mais rápido, sendo maior que o máximo, invisivelmente”.

Entendo que isso não serve só para a arte; o estado inspirativo está em cada um de nós e pode ser explorado em qualquer ambiente ou situação. Você pode entrar no estado inspirativo e levar todos ao seu redor, desde pessoas da sua equipe, músicos de uma banda, amigos que nos cercam, etc…afinal é energia e é somatório, são pessoas que se inspiram e se deixam inspirar, dando chance para idéias verdadeiramente humanas, em prol da mudança.

Idéias inspiradas são inspiradoras, que realizadas inspiram novas idéias, elevando a chance para os valores realmente de consciência, muitos chamam de relações espirituais, outros diriam que é a materialidade da energia, outros humanidade, literalmente falando, para a presteza, para a humildade e gentileza, pois é assim que funciona essa linha do universo criativo, precisando apenas de um pequeno estímulo para que a roda gire, se tornando cíclico, positivo e engrandecedor.

“Um mundo sem O ESTADO CRIATIVO é apenas um tempo perdido, vazio e sem graça.”

por: Fábio Della - nov 2021