biomimética

Hoje cedo, ao fazer minha corrida pelas ruas de Belo Horizonte, observei o bairro todo florido, é o dom de transformar da primavera. Talvez por coincidência, hoje, dia 04 de outubro é comemorado “O DIA MUNDIAL DA NATUREZA”, e com isso me trouxe essa reflexão, sobre o impacto das ações humanas no meio ambiente e meio à cabeça o tema da BIOMIMÉTICA: tecnologia inspirada na natureza. Assim como o movimento das nadadeiras das baleias já inspirou inovações na geração de energia eólica, a circulação do ar dentro de cupinzeiros inspirou a construção de edifícios mais sustentáveis, a biomimética reforça a otimização de recursos e alinha-se aos princípios da economia circular, diferentemente do modelo econômico linear, baseado em extração, transformação e descarte.

A morte de pássaros ao colidir com os vidros de edifícios fez a empresa alemã Arnold Glass buscar uma solução nas teias de aranha. Possuidoras de uma fibra que reflete a luz ultravioleta (UV), as teias tornam-se visíveis para os pássaros, fazendo com que eles desviem sem colidir.

A gigante mundial NATURA encontrou nas teias de aranhas inspiração para tecnologia de tratamento capilar, após identificar que a proteína presente nas teias tem formato similar à do fio de cabelo, a empresa reproduziu a tecnologia em laboratório para a regeneração dos fios.

Assim seguimos aprendendo com a natureza, com a sabedoria dos organismos vivos, podendo transformar uma economia predatória em sustentável. Quem sobreviverá, a natureza, os predadores ou a harmonia circular?

Laura Landau, mestre em biomimética pela Universidade de Arizona e pelo Biomimicry Institute, além de pesquisadora em inovação e tecnologias do projeto Amazônia 4.0, considera a biomimética uma nova maneira de olhar para o mundo, em que as relações ecológicas e a sabedoria dos organismos vivos podem guiar o ser humano para melhores formas de habitar o planeta.

fonte: Mongabay

por Fábio Della - out 2021